quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O que alimenta o Amor?

Homens e mulheres se complementam, mas nunca vão se entender por completo. Falo isso por vários motivos muito claros no nosso cotidiano. Por exemplo, homem nunca vai entender a dor de um parto ou de uma depilação à cera assim como mulher nunca vai saber a dor de um chute recebido nas partes baixas ou de uma lamina vencida na hora de fazer a barba.
Ou aquela clássica dor de cabeça de uma mulher em TPM que homem nenhum entende e nem vai entender contra a famosa testosterona, culpada pela maioria das olhadas para aquela mulher gostosa que passa na rua! Para ambos os casos, isso se trata de uma questão hormonal, científica, não há como discutir, apenas aceitemos isso.

E por aí vai. Diferenças são inúmeras e exatamente por elas é que existe essa relação tão questionada, mas necessária. Os opostos se atraem, mas no momento em que se tornam iguais, podem se repelir. A questão é sim aceitar as diferenças de cada um, saber respeitar e conviver com isso, já que não podemos viver sozinho – faz parte da natureza humana ter alguém do lado, um conforto, um recanto, ou como muitos preferem chamar, uma alma gêmea.

Uma coisa que aprendi nas relações é a palavra momento. O que pode lhe atrair hoje, pode te repelir amanhã. Em um momento da sua vida você pode estar procurando beleza, sexo, prazer. Em outro o que você mais quer é alguém simplesmente para te ouvir, com conteúdo. Sexo hoje em dia é fácil, relação é um processo mais lento, mais seletivo. Faz parte do amadurecimento, das vivências, das pancadas que a vida te aplica e de onde você tira a vacina, a defesa para relações futuras. Tornamos-nos cada vez mais exigentes na medida em que aprendemos nas relações.

Queremos amor de verdade, apesar de hoje ele ser visto muitas vezes como algo comercial ou  pura supressão de carência. Temos acesso tão fácil às pessoas hoje em dia que nos permitimos errar com os outros e trocar no dia seguinte por uma nova relação. Hoje em dia existe até site de traição para quem quer fugir da rotina. E como tudo que é fácil perde valor, as relações de hoje são frágeis, vulneráveis, descartáveis em muitas vezes.

Aprendi que para haver amor, além do momento particular de cada um, é necessário amor próprio. Você precisa estar bem consigo mesmo para estar com outra pessoa. Caso contrário, se torna uma relação de posse, de insegurança. Ninguém aqui soma com ninguém, são duas partes diferentes que se complementam, que fazem trocas – literalmente relações.

Aprendi também que para haver amor devem existir alguns itens essenciais:

1) Admiração: trata-se de amor extremo. Deve haver quase que uma idolatria, uma veneração, um consumo diário de sentimento verdadeiro a quem se ama.

2) Química: sexo sem química não dá. Não existe relação sem esse elemento básico. Se isso não rola, não force a barra, parta pra outra.

3) Confiança: sempre dizem que devemos deixar as pessoas que amamos livres, pois somente assim temos a certeza de que cada um responde por si e aprende a ser responsável por isso. Fidelidade e lealdade são palavras que andam juntas.

4) Tolerância: é preciso ter compreensão. Saiba se adaptar e ceder dentro de uma relação. Amar alguém é também amar seus defeitos.

5) Sinceridade: podemos sim omitir algumas situações desnecessárias do dia a dia – já a mentira corrompe, denigre, não tem validade numa relação. É um buraco que aumenta na medida em que se cultiva isso. Uma hora a casa cai por isso.

6) Respeito: ser amigo de alguém é fácil, pois é um sentimento puro. Já em uma relação isso se torna mais difícil, pois a convivência é de outro nível, requer algo a mais. Nesse caso, respeito às diferenças é adjetivo básico.

7) Incorporação: Assim como calor e frio, uma relação deve ser feita de trocas, um deve incorporar um pouco do outro em si. Saber compreender, conhecer os simples detalhes de cada um, faz a diferença a longo prazo, pois são as pequenas coisas que marcam nossas vidas.

8) Surpresas: saber surpreender quem você ama é algo essencial. Todo dia é uma oportunidade para fazer alguém melhor. Um simples detalhe pode sim reforçar uma relação. Quão bom é viver de amor com aquele sentimento de que sempre pode surgir algo novo com esse alguém. Pequenas surpresas são como combustível em uma relação na trilha de um caminho a dois.

Por isso vai uma dica: se sua relação não tem a maioria desses itens, nem comece a namorar ou separe-se de uma vez. A traição é a fuga mais fácil pra quem não sabe lidar com isso. Esse medo de perder alguém é que deve fazer parte do seu dia a dia. Se a pessoa é tão importante para você, faça por merecer, não viva com dúvidas. Não mude seu jeito de ser por causa de alguém, apenas aprenda a se adaptar e cresça com isso.

Viva cada dia como se fosse o último, não leve uma relação que não dá certo adiante, só vai prejudicar ambos e alimentar um sentimento de consumo desnecessário. Vai fazer festa e curtir sua vida com os amigos enquanto isso! Mas se você tem certeza do que quer, te atira, surpreenda, consuma seu amor com alguém ao extremo.

por Gustavo Sana

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Topo da Página ↑